Cade aprova por unanimidade fusão entre Rumo e ALL

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) acaba de anunciar a aprovação da fusão entre a Rumo Logística Operadora Multimodal S.A e a América Latina Logística (ALL). O negócio, que teve início em fevereiro de 2014, foi aprovado no âmbito do Tribunal do órgão antitruste, durante a 58º Sessão Ordinária realizada hoje.

Dentro do modelo de logística ferroviária e portuária integrada, a nova companhia atuará no transporte de grãos (soja e milho), açúcar, cítricos, celulose, fertilizantes, manufaturados e combustíveis.

De acordo com a deliberação do plenário do CADE deverão ser implementadas pela nova companhia medidas comportamentais.

“Nosso objetivo é aumentar a eficiência da operação ferroviária para a captação da maior quantidade possível de cargas, firmando contratos de longo prazo com os clientes e melhorando o nível do atendimento dos serviços”, afirma Marcos Lutz, CEO da Cosan.

A operação não envolveu troca de recursos, mas somente a incorporação das ações da ALL pela Rumo.

Histórico da fusão

O processo de fusão entre Rumo e ALL começou a ser definido em 24 de fevereiro do ano passado, quando a Cosan formalizou a oferta à ALL. Em menos de três meses, os acionistas da ALL aprovaram a incorporação (08/05/14) e, em 21 de julho, a Rumo deu entrada à proposta de incorporação no Cade.

Em 05 de novembro, a Superintendência Geral (SG) do Cade classificou o caso como complexo, mesmo dia que a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) aprovou a fusão sem restrições. Já no começo de dezembro (09/12), a SG transferiu a decisão final para o Tribunal do Cade, que aprovou hoje a operação. 

Sobre a empresa

A nova companhia, resultante da fusão entre Rumo e ALL, nasce com 12,9 mil quilômetros de malha ferroviária, 19 milhões de toneladas de capacidade de elevação no porto de Santos, 966 locomotivas, 28 mil vagões, 11,7 mil funcionários diretos e indiretos. Nesse período inicial de integração, a empresa irá operar com foco na expansão da capacidade de operação, redução de custos e aumento da eficiência operacional.