Funilarias aderem ao gás natural para alimentar cabines de pintura

Cada vez mais comum em residências, indústrias, comércios e até em pizzarias e restaurantes, o gás natural tem conquistado a preferência de empresas do ramo automotivo. Agora, as funilarias de São Paulo estão usando o energético distribuído pela Comgás como fonte de alimentação para as cabines de pintura, em substituição ao diesel, GLP (gás de botijão) e eletricidade.

A Frisontech Serviços Automotivos, localizada em Pirituba, zona norte da capital, fez a mudança em dezembro de 2013 e o proprietário do estabelecimento, Mauro Frison já sente mudanças positivas. “Ao optarmos pelo gás natural tivemos um ganho considerável em relação à manutenção do equipamento, o que tem contribuído diretamente com a diminuição de custos e gastos operacionais. Além disso, com a substituição, ganhamos espaço, segurança, aumentamos a qualidade da entrega final da pintura dos automóveis e, ainda, contribuímos para melhorar as questões ambientais, o que tornou mais fácil o processo para obtenção de licenças e alvarás de funcionamento”, disse.

Atenta ao novo nicho de mercado, a Comgás tem investido no setor, oferecendo parceria para as empresas que se interessem em realizar a conversão.

O que são cabines de pintura?

As cabines de pintura, também conhecidas como estufa ou câmara, são equipamentos utilizados no processo de pintura de automóveis, peças, móveis, etc., obtendo qualidade e agilidade no serviço. O uso da ferramenta impede que ciscos ou partículas presentes no ambiente assentem sobre a peça, garantindo qualidade ao serviço.

Estes equipamentos possuem sistema de filtragem, o que permite devolver ar livre de partículas de tinta ao meio ambiente, auxiliando as empresas a se adequarem às exigências ambientais. O uso de gás natural para alimentar essa ferramenta potencializa ainda mais estas vantagens ecológicas. Sem contar que o uso de cabines de pintura é uma forma de dar segurança ao trabalho dos funcionários.